Conecte-se conosco

Política

Deputada Federal Cristiane Lopes Investe 3,3 Milhões no Projeto PCD + Mães Atípicas em Parceria com IFRO

A parlamentar tem a pauta das famílias atípicas como prioridade e pontua ser muito justo
oferecer a essas famílias serviços de proteção, acompanhamento psicológico e terapêutico,
com atenção integral à saúde, informação e formação

Publicado

em

A Deputada Federal Cristiane Lopes que a cada dia firma ainda mais seu
compromisso com a educação e o cuidado das famílias atípicas, anunciou a
destinação de 3,3 milhões de reais para a execução do Projeto PCD + Mães
Atípicas. Este projeto é uma parceria com o Instituto Federal de Rondônia (IFRO),
localizado na Zona Norte de Porto Velho.

Segundo a deputada o objetivo do projeto é proporcionar formação
profissionalizante, práticas de cuidado e serviços de saúde para pessoas com
deficiência e suas mães, priorizando aquelas atendidas por Organizações da
Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) de Rondônia. “Os recursos serão aplicados em pesquisas inovadoras, formação profissional e cultural, além de serviços de saúde voltados para atender as necessidades específicas de pessoas com deficiência e mães atípicas”, informou.

Sérgio Francisco Loss Franzin, responsável pelo projeto, destacou que esta
iniciativa responde a uma emergência social, dado que pessoas com deficiência
ainda enfrentam desafios significativos de integração e acesso a tratamentos
adequados.

“Apesar das políticas públicas em prol da equidade e criação de oportunidades, às
pessoas com deficiência ainda não estão plenamente integradas e sofrem com a
falta de tratamento adequado. Com práticas de formação e atendimento em saúde,
podemos transformar essas pessoas em cidadãos mais autônomos e produtivos”,
afirmou Franzin.

A parlamentar, pontou também que as mães atípicas, que frequentemente
enfrentam sobrecarga de cuidados e muitas vezes também têm deficiências, são um
público especialmente vulnerável. Elas frequentemente não têm acesso a estudos,
trabalho, tratamentos pessoais ou lazer, devido às complexidades e
responsabilidades que enfrentam.

“Essas mães sofrem com abandono, baixa renda, vulnerabilidade social e outras
formas de exclusão. Este projeto visa oferecer a elas a orientação psicossocial e o
apoio necessário para fortalecer e valorizar seu papel na sociedade”.

Jefferson Cardoso, diretor geral do IFRO, Campus Zona Norte de Porto Velho,
expressou seu agradecimento à parceria da deputada Cristiane Lopes e destacou
que o projeto será um marco dentro da instituição.

Em Brasília, Cristiane Lopes também é presidente da Frente Parlamentar das Mães
Atípicas e votou a favor do PL 421/2024, que prioriza o atendimento psicossocial e a tramitação de processos administrativos para mães dedicadas ao cuidado integral
de filhos com autismo ou deficiência. Além disso, é autora do PL 561/2024, que
institui a Semana Nacional da Maternidade Atípica.

“Este investimento reflete meu compromisso em promover o bem-estar e a inclusão em nossa sociedade. Juntos, vamos construir um futuro mais inclusivo e acolhedor para todos. Sabemos dos desafios enfrentados pelas mães e cuidadoras
responsáveis por filhos que necessitam de cuidados específicos.”, finalizou a
deputada.

Fonte: Assessoria

Política

Biden desiste de candidatura à reeleição para a presidência dos EUA

Publicado

em

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou neste domingo (21) que desistirá de concorrer à reeleição. Em uma postagem na rede social X, Biden afirmou acreditar que, apesar de sua intenção de tentar um novo mandato, é do interesse do Partido Democrata e do país a retirada da sua candidatura. Em seguida, disse que se concentrará no seu trabalho como presidente até o final de seu mandato, em janeiro de 2025.

“Foi a maior honra da minha vida servir como seu presidente. E, embora tenha sido minha intenção buscar a reeleição, acredito que seja do melhor interesse do meu partido e do país que eu me afaste e me concentre apenas no cumprimento de meus deveres como presidente pelo restante do meu mandato”, escreveu Biden em uma carta publicada na rede social.

Ainda na carta postada hoje, ele informou que se pronunciará à nação no final desta semana, dando mais detalhes sobre sua decisão. No entanto, em outra postagem no X, o presidente adiantou seu apoio na indicação da vice-presidente, Kamala Harris, para enfrentar o republicano Donald Trump.

“Minha primeira decisão como candidato do partido em 2020 foi escolher Kamala Harris como minha vice-presidente. E foi a melhor decisão que tomei. Hoje quero oferecer todo o meu apoio e endosso para que Kamala seja a indicada do nosso partido este ano”.

O anúncio de Biden segue-se a uma onda de pressão pública e privada de parlamentares democratas e membros ​​do partido para que ele desistisse da corrida após desempenho fraco em um debate televisivo no mês passado contra o rival republicano Donald Trump.

Na carta de hoje, Biden disse que os Estados Unidos tiveram grande progresso nos últimos três anos e meio, citando a expansão do acesso a serviços de saúde, legislação sobre armas e a indicação da primeira mulher negra para a Suprema Corte.

Em típico discurso de fim de mandato, o presidente ainda destacou o fortalecimento da democracia e das relações do seu país com outras nações. “Os Estados Unidos nunca estiveram tão bem posicionados para liderar como estamos hoje. Sei que nada disso poderia ter sido feito sem o povo americano. Juntos superamos uma pandemia e a pior crise econômica desde a Grande Depressão.

Protegemos e preservamos nossa democracia e revitalizamos e fortalecemos nossas alianças em todo o mundo”.

Donald Trump

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse à CNN neste domingo que acha que será mais fácil derrotar a vice-presidente, Kamala Harris, nas eleições de novembro do que seria derrotar Joe Biden.

Continue lendo

Política

Medida discrimina produtores e é um desserviço para a imagem do Brasil, afirma Bagattoli e Aprosoja RO

Senador de Rondônia e entidade do setor produtivo detalham realidade do setor no estado.

Publicado

em

A moratória da soja tem sido, nos últimos tempos, uma das principais preocupações dos produtores rurais nacionais e motivos não faltam. Na última semana, o tema foi debatido numa audiência na Câmara Federal e a expectativa é de abertura de uma CPMI Mista para investigar a atuação de ONGs na implantação da moratória da soja no país.

O encontro da última semana reuniu parlamentares da bancada ruralista, como o vice-presidente da Comissão de Agricultura, o senador Jaime Bagattoli (PL), e entidades do setor produtivo, como a Aprosoja Rondônia. O senador, em questão, protagonizou um dos momentos mais aplaudidos ao discursar sobre os desafios enfrentados pelos produtores na Amazônia Legal.

“Nos estados da Amazônia a obrigação de manter 80% da floresta em pé já se mostra um compromisso muito custoso para o produtor e também para o cidadão. Só isso, já deveria obrigar o Ministério do Meio Ambiente a se debruçar sobre estratégias para apoiar esses produtores. Mas pelo contrário, temos aqui um acordo que discrimina os produtores que tanto têm se esforçado para conciliar a produção com respeito à Amazônia e preservação ao meio ambiente”, afirmou o senador.

ATUAL SITUAÇÃO

Na prática, a moratória da soja busca garantir que a soja cultivada na Amazônia e comercializada não tenha relação com desmatamentos ocorridos após o ano de 2008, mesmo que a abertura dessas áreas tenha sido permitida pelo Código Florestal.

No entanto, o entendimento é de que a moratória da soja, anunciada pelo governo, tem prejudicado os produtores do grão, mesmo aqueles estejam cumprindo as determinações do Código Florestal no que diz respeito à preservação da vegetação nativa.

Consultor de Relações Governamentais da Aprosoja Rondônia, Thiago Rocha representou a entidade e falou da realidade e desafios do produtor na região amazônica.

“Na Amazônia você é limitado por duas leis: o Código Florestal e o zoneamento dos estados. Somos obrigados a preservar 80% da floresta, mas também temos o dever de converter o restante para agricultura. Não se engane, a moratória é um desserviço para a imagem do nosso país”, acrescentou o consultor da entidade.

Ao fim da audiência, ficou decidido que a Câmara dos Deputados e o Senado Federal devem analisar, nos próximos dias, um pedido de abertura de uma CPMI Mista para investigar a atuação de ONGs na implantação da moratória da soja no Brasil.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Continue lendo

Política

Dra. Taíssa solicita ambulâncias para Itapuã do Oeste visando reforço no serviços de saúde

Publicado

em

A falta de ambulâncias adequadas para atendimento emergencial em Itapuã do Oeste tem sido uma preocupação crescente entre os moradores e profissionais de saúde. Em resposta a essa necessidade urgente, a deputada estadual Dra. Taíssa (Podemos) enviou uma indicação parlamentar para a aquisição de uma Ambulância de Suporte Avançado Tipo “D” e uma Ambulância de Suporte Básico Tipo “B”, equipadas com mão de obra especializada, destinadas à unidade de saúde do município.

Atualmente, o único veículo disponível para atendimento de emergências em Itapuã do Oeste é adaptado como ambulância, porém não possui os equipamentos necessários para um suporte adequado aos pacientes em situações críticas. Esta situação tem sido um risco à saúde pública, uma vez que a falta de recursos adequados pode resultar em agravamento dos quadros clínicos das vítimas.

A comunidade e os profissionais de saúde de Itapuã do Oeste enfatizam a importância de medidas imediatas para melhorar a infraestrutura de saúde local, garantindo assim que todos os residentes tenham acesso a serviços de emergência eficazes e seguros. A proposta visa não apenas substituir o atual veículo adaptado, mas também garantir que as ambulâncias adquiridas estejam equipadas com todos os recursos necessários para o suporte às equipes médicas durante o transporte de pacientes em estado crítico.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Continue lendo

Trending